Imaginando a volta às aulas

 

É chegada a hora de projetar um novo ciclo escolar! 

Precisamos abraçar nossos sonhos, desejos e aprendizados e definir novas metas e objetivos para esse ano. É a hora de avaliarmos o que gostaríamos de manter e o que precisamos descartar e, assim, traçar novas trajetórias para nosso ano escolar. 

 

É a hora de se abrir e desbravar o hoje, assumindo novos riscos e dando liberdade para a criação, recordando o sentido etimológico da palavra Educação, que tem como fim uma ação planejada, responsável, coletiva e colaborativa que resultará na criação ou mudança da realidade que compartilhamos. 

 

Queremos estar ao seu lado nesse caminho, apoiando seus projetos, auxiliando com materiais de inspiração e referência, e favorecendo a aprendizagem em pares em diferentes momentos. Nossa interação pode acontecer de forma síncrona (webinários, lives e rodas de conversa) ou assíncrona (aqui, pelo portal, e no grupo temático do Volta às Aulas).

 

Sabemos que, diariamente, somos desafiados a nos reinventar e nos atualizar para atender às demandas atuais; no entanto, poucos são os espaços seguros que temos para nos expressar, expor nossas inquietações, dúvidas e incertezas, sem o receio de sermos julgados por isso. 

 

Nós, da Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa (RBAC), acreditamos que conversar e compartilhar é importante para aprender uns com os outros, refletir, tomar nossas próprias decisões e criar nossas próprias estratégias e caminhos. E, nesse processo, vivemos uma sequência de descobertas e desenvolvemos maior autoconhecimento.

 

Sabemos que o começo de um novo ano escolar não é um simples retorno, como se, durante o recesso, desligássemos o nosso botão do “aprender” e só ligássemos novamente ao voltar para a escola. O aprender não acaba quando saímos da sala de aula, pois é um processo constante de interação com o meio e com o outro. A escola, por sua vez, tem o papel de favorecer e fomentar essa interação com vistas ao desenvolvimento da criticidade, intenção, planejamento e ação para a transformação. 

 

Nós podemos imaginar, desejar e sonhar mudanças para nossas escolas e nossas aulas, ansiando por espaços e interações mais lúdicas, criativas e relevantes, mas nada disso se sustentará sem um projeto. O ato de projetar é um movimento consciente e planejado que se apoia em nossos sonhos, objetivos, imaginário ou necessidades para traçar metas como forma de antecipação de nossas ações, tendo em vista os riscos e os espaços para a criação e a abertura de novas trajetórias ao longo do percurso que pretendemos realizar. É por isso que convidamos você para começar esse ano letivo IMAGINANDO. 

 

Na sua visão:

  • Como é a escola dos seus sonhos? 
  • Como são as aulas que deseja realizar? Que elementos as tornariam inesquecíveis?
  • Como as famílias podem colaborar durante esse ano?
  • Quais as competências e habilidades que você quer desenvolver como professor/gestor/coordenador?
  • Quais competências deseja que seus estudantes desenvolvam ou comecem a desenvolver?

 

Colocar essas questões e ideias no papel é importante e essencial para apoiar nossos projetos, sejam eles pessoais ou profissionais. A partir disso, podemos traçar nossos planos e estratégias para as ações que realizaremos ao longo do ano que está iniciando.