Atividades presenciais com segurança

Aprendemos muito nos últimos anos de pandemia e encontramos  novas formas de acolher e trabalhar com o distanciamento físico. Sabemos que, dependendo da faixa etária e da estrutura local, nem sempre é possível manter o distanciamento físico, porém, continuamos seguindo os protocolos de segurança sanitária estipulados, de acordo com nossa localidade e dentro do que é possível.   

É sabido que a contaminação pode ocorrer via contato direto ou indireto com pessoas infectadas, por meio de gotículas que podem ir diretamente da pessoa infectada ou ficar um tempo em suspensão no ar. Se o procedimento de desinfecção das superfícies e higienização das mãos for realizado de forma correta, existe um risco menor de infecção através de objetos e superfícies (ANVISA, 2020; OMS, 2020).

Além das medidas que já conhecemos de higienização e barreiras físicas, sabemos que, dependendo da idade, o processo contínuo de higienização e uso de máscaras pelos pequenos é uma missão quase impossível. Por isso, vale a pena preparar pequenos kits individuais com alguns materiais que possam ser manipulados individualmente pelos estudantes. 

Pode ser algo simples, como pacotinhos de papel com tampinhas de garrafa, massinha, cola, papéis coloridos (ou recortes de revista), palitos de madeira e elásticos, por exemplo. Sabemos que uma diversidade de recursos ajuda a enriquecer os projetos, mas apenas papel e lápis também proporcionam criações incríveis com uma pequena faísca na imaginação!

É muito importante lembrar de manter os ambientes abertos e favorecer a ventilação natural para reduzir os riscos de contaminação. O projeto de extensão Ventilação Natural em Salas de Aula Pós-Pandemia de Covid-19, do Laboratório de Eficiência Energética e Sustentabilidade das Edificações da Universidade Estadual de Londrina, criou um vídeo com uma linguagem simples e acessível para conscientizar a comunidade escolar local sobre a importância da ventilação natural. Vale a pena assistir e compartilhar! Você pode acessá-lo clicando aqui

Está sem ideias para a criação dos kits? Você pode considerar os pontos a seguir

É importante lembrar de escolher materiais facilmente disponíveis e que incentivem a criatividade e a expressão pessoal dos estudantes. Considere materiais que o estudante possa ter em casa ou na comunidade em que vive. Além disso, deve-se pensar na forma de abrigar os itens do kit. Será uma caixa de sapatos? Um saquinho de papel? Um envelope? Uma bandeja?

Considere diferentes categorias de materiais, conforme o projeto.

  • Objetos inspiradores: utensílios metálicos, transparentes, coloridos, que produzem sons, com formatos curiosos, macios e pequenos brinquedos. 
  • Ferramentas: tesoura, cola quente, pincéis, régua, compasso, chaves de fenda, alicates, martelo e estiletes (a manipulação delas variará de acordo com a idade dos estudantes).
  • Materiais estruturais: pedaços de papelão, barbante, elástico, arame, blocos de madeira ou outro material rígido, CDs velhos, rolinhos de papel, embalagens descartáveis diversas.
  • Objetos que balançam ou se movimentam: bolas, rodinhas, latinhas, bolinhas de gude, tampinhas de garrafa.
  • Materiais conectores: fita adesiva, diversos tipos de colas, prendedores de roupa, percevejos, elásticos, barbante, isopor, braçadeiras, colchetes de metal, massinha de modelar, pedaços de papelão, isopor ou EVA com furos. Mais ideias de conectores você pode conhecer no Alquimétricos
  • Elementos naturais: folhas, galhos, sementes.
  • Componentes eletrônicos: LEDs, baterias, pilhas, motores, materiais condutivos (incluindo papel alumínio), interruptores, potenciômetro, buzzer.
  • Materiais decorativos: tinta guache, cola colorida, giz de cera,  canetas hidrográficas.
  • Objetos aleatórios e inusitados.

Sem olhar para o seu planejamento, pode ser difícil montar um kit geral. Mas, com um objetivo mais bem estabelecido fica bem mais fácil. Por exemplo: que kit facilitaria a criação de uma floresta encantada? Ou de um super-herói? De cidades de papelão? Ou de engenhocas que se movimentam?

Lembre-se, você pode começar a exploração por meio de um imaginar ou de uma temática, mas também pode começar pelos materiais. Do que eles são feitos, quais processos eles passaram para se transformar naquele objeto ou ferramenta, quais são suas texturas e assim por diante.

 

Como fazer a higienização dos materiais?

 

 Inspirações

Relacionamos a seguir algumas referências que podem servir de inspiração e nos ajudar a pensar em diferentes formas de utilizar e organizar os materiais durante as atividades de Aprendizagem Criativa.

Dicas e Truques da Galeria de Atividades do portal da RBAC.