Um convite aos estudantes: Que mudança você gostaria de ver no mundo?

Você pode organizar a turma em um semi-círculo - se isso for possível - e iniciar convidando a completarem a seguinte frase "Imagine um mundo onde...". A ideia é que cada estudante diga o seu nome e uma coisa que eles imaginam em seu mundo.

Esta atividade pode ser lúdica ou mais voltada para o social
ou questões ambientais, dependendo do tom definido por você no início deste aquecimento.

Por exemplo, “Meu nome é Fernanda e imagino um mundo onde todos podem voar e as nuvens são de algodão doce”, ou "Meu nome é Pedro e imagino um mundo onde ninguém passa fome".

Os estudantes podem pensar em ideias malucas maluco, como um vulcão com lava de chocolate, ou um projeto focado em solucionar problemas sociais ou ambientais, como reposição automática de árvores e uma nova tecnologia para despoluir os oceanos.

Acesse o estúdio do Scratch para buscar inspiração! :)

Dica - E se eu estiver mediando esta etapa remotamente?

Existem diversas possibilidades, as quais dependem do seu contexto e dos recursos que você e seus estudantes têm acesso. Por exemplo, se os estudantes tiverem acesso à internet por meio de computadores e smartphones, podemos explorar as seguintes plataformas:

  • Enviar um áudio curto via Whatsapp com esse grande convite ao imaginar e depois incentivar os estudantes a enviarem fotos dos desenhos com suas ideias.
  • Criar um mural colaborativo virtual (ver aba Indo Além) com o convite e solicitar que os estudantes compartilhem suas ideias da forma que acharem pertinente: escrevendo sobre ela, postando um desenho ou uma imagem de referência, gravando um vídeo.
  • Dependendo do acesso a dados remotos, também é possível enviar um vídeo curto (ou link para acessá-lo) via Whatsapp.
  • Postar vídeos, perguntas e outros recursos que inspirem os estudantes em um ambiente virtual de aprendizagem;
  • Criar um formulário interativo na forma de uma aventura-solo para os estudantes explorarem e responderem com suas ideias.
  • Realizar uma videoconferência com os alunos e convidá-los a falarem sobre suas ideias, escreverem suas ideias em um mural virtual, envolverem as pessoas que moram com eles em suas apresentações...

É hora de colocar a mão na massa e criar um projeto no Scratch!

Agora que os estudantes já pensaram em como seriam seu mundo onde tudo pode acontecer e o que teria nele, chegou o momento de explorar diversos blocos do Scratch para criarem os seus projetos!

Eles podem usar elementos sobre os quais refletiram anteriormente e outras inspirações que são importantes para eles.

Os estudantes não precisam concluir suas criações durante o tempo de uma aula. A ideia é que ao final da atividade apresentem uma primeira versão de seus projetos e o que pretendem fazer a seguir, dando continuidade em outros momentos para aperfeiçoá-los e finalizá-los.

Para começar, eles podem:

  • Utilize os cartões de programação Scratch ou o tutorial online na página Ideias, ou no editor offline do Scratch.
  • Criar um roteiro, em formato de storyboard, para definir quais cenas farão parte do seu projeto.
  • Escolher os elementos que farão parte do projeto: personagens, cenários, movimentos, sons...
  • Remixar um projeto existente.

 

Mas, o que é remixar?

Dica - Como podemos interagir seguindo protocolos de distanciamento físico?

Podemos incentivá-los a expressarem suas ideias durante esse momento de criação, fazendo perguntas para que falem sobre o que pretendem criar e para que a turma saiba o que cada um está criando, já que a circulação livre não é algo possível neste momento.

E, que tal colocar uma música para alegrar o ambiente enquanto criam?

Se possível, compartilhe desse momento de criação com eles! Crie também o seu projeto e vá narrando as suas dificuldades e ideias enquanto eles criam em seus lugares!

Observe algumas sugestões de como mediar este momento

  • Comece com algumas dicas: faça algumas perguntas para ajudar os estudantes a começar. Por exemplo: Qual ator poderia fazer parte do seu mundo imaginário? O que seu ator poderá fazer para demonstrar sua ideia sobre este novo mundo? Como o cenário pode ajudar a comunicar a sua mensagem?
  • Sugira algumas ideias para começar: faça com os estudantes os primeiros passos do tutorial para que entendam os comandos básicos e possam iniciar seu projeto. Em seguida, mostre os principais comandos que são novidades neste tutorial, como, por exemplo, deslizar, aumentar e encolher e inserir som.
  • Incentive a exploração livre e a experimentação: pode ser que os estudantes queiram criar suas cenas sem fazer qualquer planejamento prévio. Ou seja, conforme eles criam, uma ideia surge atrás da outra. Comemore com eles as manifestações de criatividade e as reviravoltas que as suas cenas podem dar!
  • Incentive os estudantes a explorarem outros recursos, por exemplo desenhando seu personagem no papel para depois fotografá-lo e inserir essa imagem no seu projeto. Caso tenha um editor de imagens disponível, é possível retirar o fundo da imagem e até mesmo colorí-lo digitalmente! Neste caso, basta desenhar o contorno preto, digitalizar o desenho e realizar toda a pintura no editor de imagem, permitindo um acabamento digital para as criações dos alunos. 
  • Também é possível criar um personagem 3D com sucatas e fotografá-lo em diversas posições. 
     

Dica - Quando o tempo do mão na massa estiver terminando...

Prepare a turma para compartilhar: os estudantes não precisam finalizar seus projetos nesta aula, então não tem problema se não tiverem concluído suas criações quando o tempo terminar. A ideia é justamente compartilhar o projeto em construção, com as suas falhas e pontos fortes. Algumas dicas:

  • Quando o tempo de criação estiver se esgotando, oriente como salvar os projetos.
  • Os estudantes podem criar uma ficha de apresentação no campo Instruções, explicando como funciona a interação.
  • Os estudantes podem adicionar comentários na área de código, explicando o que fizeram ou pedindo ajuda com um código.

E se um estudante terminar seu projeto antes da aula acabar?

Você pode orientá-lo a:

  • Salvar seu projeto;
  • Ajudar um colega que esteja com dificuldades (como não é possível fazer duplas, o estudante com dificuldades pode compartilhar o link ou o arquivo do projeto, para que interajam virtualmente ou a uma distância física segura);
  • Desafiar-se a fazer mais, adicionando novos blocos, sons ou movimentos;
  • Criar um novo projeto ou remixar o projeto de um colega!

Dica - E se eu estiver mediando esta etapa remotamente?

Se for um momento de criação assíncrono, podemos incentivar os estudantes a explorarem os objetos e os cômodos de suas casas de uma forma inusitada. E se eles:

  • Montarem uma tenda que funcionará como seu estúdio de criação de cenários do seu projeto?
  • Envolverem outras pessoas que moram com eles para criarem junto?
  • Envolverem os responsáveis para ajudá-los a compartilhar seus projetos em suas redes sociais ou nas da escola?
  • Gravarem vídeos com orientações para os colegas que estão com dificuldades?

A forma como essas orientações e provocações chegam aos estudantes depende muito do seu contexto e dos recursos que você e seus alunos têm acesso. Poderia ser:

  • Uma mensagem ou um áudio curto via Whatsapp;
  • Uma folha com orientações e um espaço para que os estudantes possam escrever, desenhar e fazer colagens para depois te entregarem;
  • Um vídeo curto postado em um ambiente virtual de aprendizagem.

Se for um momento de criação síncrono, podemos incentivar o mão na massa durante uma videoconferência, usando compartilhamento simultâneo de telas com o Unhangout por exemplo.

Lembramos que a exploração do Scratch é um dos caminhos possíveis para a criação de projetos nesta atividade. Se os estudantes não tiverem acesso a ele, podem criar seus mundos imaginários explorando objetos, materiais e outras tecnologias aos quais tiverem acesso.

Olha só que legal este vídeo que mostra um exemplo de uma atividade mão na massa remota e síncrona! :) O tema foi bem diferentes da proposta desta atividade, mas é bacana ver o tipo de interação possível de se estabelecer em um contexto como este.

Ah, uma coisa super importante! Não podemos nos esquecer de incentivar os estudantes a documentar todo o processo de criação, seja por meio de desenhos, fotografias, registros em um diário de bordo ou diário de áudios! Além de ajudá-los a entenderem melhor o seu percurso de aprendizagem, essa documentação pode ser utilizada durante o compartilhamento dos projetos e para avaliação! :)