Dica - Boas perguntas

Alguns direcionamentos e perguntas que poderão ajudar:

  • Que tipo de atividade/aula vocês gostam de fazer? E por quê?
  • O que gostariam de fazer na aula de hoje ou na próxima aula?
  • Será que conseguimos estes materiais que citaram?
  • Pensando nos materiais que temos disponíveis na escola... o que poderíamos fazer que seria divertido?
  • Que tipo de combinados teríamos de fazer para conseguirmos realizar estes projetos dentro do tempo que temos disponível?

Agora é o momento de identificar se as paixões trazidas pelos alunos já podem ser iniciadas ou precisará de um planejamento para um próximo momento, ou seja, aqui analise se você já tem os materiais disponíveis em sala ou na escola.

Dica - Iniciando os trabalhos

Sugestão de aplicação desta etapa:

  • Retomar as paixões que eles elencaram na roda de conversa;
  • Distribuir os textos com imagens;
  • Oportunizar que escolham em qual projeto desejam trabalhar;
  • Solicitar aos alunos que se organizem em duplas para a leitura e realização do projeto escolhido;
  • Identificar no texto quais materiais eram necessários para a realização deste projeto;
  • Registrar no caderno o nome do projeto escolhido e organizar uma lista de palavras com os materiais necessários;
    • Nesse momento é interessante disponibilizar aos alunos materiais como letras móveis, referências de letras (maiúscula, minúscula, cursiva e caixa alta).
  • Informar uma regra importante: eles devem ser capazes de identificar todos os materiais e registrá-los na lista, pois só terão uma chance de ir até a caixa para pegar os itens necessários;
    • Esta regra foi trazida por mim no intuito de motivá-los neste processo de leitura e escrita a ponto de que eles próprios continuassem dedicados a finalizar esta etapa antes de passar para a outra (e funcionou muito bem);

Destaco que neste momento a circulação e a mediação do professor com relação a hipótese de escrita fica muito mais potente e motivante para aluno e professor, pois os alunos passam a querer fazer (diferente das aulas convencionais que muitas vezes não os atraem).

Durante a aula...

É muito comum que cada dupla se encontre em etapas diferentes, ou seja, haverão duplas que irão para o mão na massa enquanto terão outras no processo de leitura e escrita.

  • Após a leitura e conferência dos registros (lista de materiais) feita por cada dupla será o momento de separar os materiais e partir para a exploração e construção do projeto.
  • Nesta etapa o professor continua circulando entre os pares para mediar as possíveis dúvidas.

Este é um momento de muita diversão, mas não significa que não possam haver alguns conflitos a serem resolvidos (inclusive conflitos internos) e a importância do professor mediador e sua ação de ajudar o aluno a confiar em si mesmo continua sendo fundamental. Pois aqui o aluno está muito interessado em realizar a proposta, mas muitas vezes precisa de algumas dicas e direcionamentos.

Sobre dificuldades encaradas pelos alunos nesta aula...

  • Na leitura de palavras, frases e parágrafos;
  • Na compreensão dos trechos lidos;
  • Na identificação dos materiais necessários;
  • Na hipótese de escrita (durante organização de lista de materiais);
  • Na segurança de realmente saberem se tinham identificados todos os materiais necessários;
  • No trabalho em pares;
  • Na própria construção do projeto.

Você não acha que "cobrar" a leitura e escrita dos seus alunos é sempre uma tarefa árdua? Pois com este tipo de proposta todo o trabalho árduo fica com os alunos e o mais legal de tudo é que eles se dedicam e se entregam para realizar as tarefas, pois querem chegar ao seu melhor resultado e todas as dificuldades passam a ser obstáculos a serem vencidos.

Mas qual o nosso papel enquanto professores? Ah! Aulas com mão na massa nos fazem realizar aquele sonho tido como distante... Sabe aquele sonho de que todos os alunos se engajam nas aulas?! Pois é este o sonho e magia que acontecem.

Nada de ficar insistindo com aluno para realizar a tarefa, basta estar atento e em movimento junto com os processos em andamento.

E será que dá certo trabalhar com hipótese de escrita desta forma? Digo apenas que todos precisam ter esta experiência! Que tal a gente combinar de você preparar a sua aula e se divertir para depois vir aqui contar?!

 

Engajamento é empoderamento

Quando imersos no mundo da construção e engajados em realizar projetos baseados em seus interesses os alunos tendem a desenvolver as habilidades do currículo formal de forma leve e prazerosa.

A cada passo dado pelos alunos novas portas da aprendizagem são abertas!